Ref. :  000000205
Date :  2001-01-29
Language :  Portuguese
Home Page / The whole website
fr / es / de / po / en

Como Mediar os Conflitos e Construir a Paz?


Quase uniforme no diagnóstico de que é preciso mudar o modelo político e econômico nos países pobres, o público do Fórum Social Mundial se divide ao definir se a transição pode ser pacífica ou só se dará por meio do confronto.

Pedro Santana Rodríguez, sociólogo colombiano da Corporação Viva a Cidadania, foi intensamente aplaudido quando afirmou que o conflito não era a solução para seu país nem para a América Latina. A mesma platéia, reunida para assistir à conferência Como Mediar os Conflitos e Construir a Paz?, aplaudiu manifestações não-programadas de apoio às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e aos guerrilheiros zapatistas do México.

A organização do Fórum foi cobrada, por participantes, pela ausência de representantes dos zapatistas e pela ausência de representantes das Farc nas grandes conferências. Maria Luiza Mendonça, falando em nome da coordenação, explicou que os mexicanos foram convidados, mas não puderam romper o cerco formado pelo Exército em Chiapas. Santana foi o primeiro a reconhecer a dificuldade de chegar a um consenso sobre os conflitos armados. "Esse é um assunto polêmico, sobre o qual não temos acordo nesta sala. Estamos juntos sobre as demandas sociais e econômicas, mas não sobre a via para alcançá-las", explicou.

O brasileiro Samuel Pinheiro Guimarães, professor da Escola de Políticas Públicas e Governo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sustentou a tese de que não é violenta a reação à opressão. "A violência não parte dos oprimidos, mas das minorias que concentram o poder". Santana reforçou a crítica à guerrilha que chama de "insurgência" dizendo que se 80% das violações aos direitos humanos na Colômbia partem dos militares e paramilitares, outros 17% a 18% provêm dos grupos rebelados. Indagado sobre a origem dessas estatísticas, o sociólogo explicou que há entidades no país, como a Comissão Colombiana de Juristas, que se ocupam dessa contabilidade.
"Há mais radicalidade verbal nesse Fórum do que entre os insurgentes colombianos, que dentro de uma ou duas semanas devem se sentar para negociar uma saída pacífica para a situação do país", ironizou o sociólogo.

Santana aposta que, se essas conversações prosperarem, ainda há tempo hábil e condições políticas para evitar a implantação do Plano Colômbia. Em meio às divergências pontuais, houve uma unanimidade na conferência: a condenação do Plano Colômbia, um programa de combate ao narcotráfico e de pacificação da guerrilha financiado pelos Estados Unidos.

Marta Sfredo
Agência RBS


Rate this content
 
 
 
Average of 20 ratings 
Rating 2.60 / 4 MoyenMoyenMoyenMoyen
Same author:
 flecheSaramago, José
 flecheO encontro na ótica da imprensa
 flecheOs fóruns de Porto Alegre e Davos no divã
 flecheDavos aplaude a mensagem de Lula
 flecheLula at the World Social Forum
 flecheIntelectuais pedem mudanças em organismos mundiais
 flecheSindicatos de todo o mundo planejam central sindical única
 flecheFSM 2005 – Concert d’ouverture
 flecheFSM 2005 – Camp de la Jeunesse 1
 flecheFSM 2005 - Marche pour la Paix 1
 flecheFSM 2005 - Marche pour la Paix 2
 flecheFSM: Um outro mundo pede passagem
 flecheEvento começa nesta quarta em clima de despedida
 flecheDois lados
 flecheNoam Chomsky é uma das estrelas do FSM 2003
 flecheHugo Chávez agita o Fórum Social Mundial
 flecheMeeting
 flecheConfusão na abertura do Fórum
 flechePortas abertas a chefes de Estado
 flecheParticipação de Lula no WEF gera polêmica
 flecheOrganizadores discutem o futuro do Fórum Social Mundial
 flecheFórum de Autoridades reúne prefeitos de 25 países
 flecheAcesso universal à escola custaria US$ 11 bilhões
 fleche"Esperamos que seja a única vez que Lula vá a Davos"
 flecheTenda gigante para receber as estrelas
 flecheGrito dos Excluídos reúne milhares em todo o país
 flechePorto Alegre sedia debates sobre a cultura mundial
 flecheOs temas ocultos da Rio+10
 flecheUm Profeta em Porto Alegre
 flecheFórum Social Mundial produz "calendário de resistência"
 flecheÍndia quer ser sede do Fórum em 2004
 flecheDebate sobre Taxa Tobin chega à exaustão
 flecheChomsky abre conferências sobre a paz
 flecheAtaque a carro-forte tumultua Fórum Social Mundial
 flechePrefeitos lançam rede de cidades
 flecheEsquivel e Karlsson falam sobre globalização
 flecheFórum Social Mundial começa hoje
 flecheGovernador abre as portas do Estado para o Fórum Social Mundial
 flecheJosé Bové desembarca em Porto Alegre
 flecheArgentina em pauta no Fórum Econômico Mundial
 flecheGoverno reforça esquema de segurança durante Fórum Mundial Social
 flecheMST confima presença de José Bové em Porto Alegre
 flecheFórum de Autoridades reúne prefeitos de 26 países
 flecheEvento discutirá os caminhos da paz
 flecheFórum Mundial reúne educadores a partir desta quarta na Capital
 flecheCúpula das Américas marca novo encontro na Argentina
 flecheReunião de cúpula da Alca começa nesta sexta
 flecheAlca excluirá países não-democráticos
 flecheManifestantes destróem lavoura transgênica
 flecheOs idiomas do neoliberalismo
 flecheMultipolaridade e monopolaridade
 flecheFórum Econômico Mundial de Davos termina com importante avanço
 flecheMarcha contra o Neoliberalismo agita Porto Alegre
 fleche"Não venderemos o sangue dos nossos filhos"
 fleche"Como Fortalecer a Capacidade de Ação das Sociedades e a Construção do Espaço Público"
 flecheMinistro francês propõe parceria entre Davos e Porto Alegre
 flecheEl portal por un mundo mejor
 flecheFórum Social Mundial começa com polêmica
 flecheFernando Henrique Cardoso e o Fórum Social: Não dá para quebrar máquinas
 flecheSuíços se dividem entre Davos e Porto Alegre
 flecheAs senhas do Fórum
 flecheAquí un mundo mejor ja es posible
 flecheJournal quotidien de l'Etat de Rio Grande do Sul
 flecheUm acampamento contra o tédio
 flecheFórum pela Inclusão Social
 flecheGoverno francês vai a Fórum em Porto Alegre
 flecheOs gerentes do mundo se encontram em Davos
 flecheFórum vai além da estatização
13
SEARCH
Keywords   go
in 
Translate this page Traduire par Google Translate
Share

Share on Facebook
FACEBOOK
Partager sur Twitter
TWITTER
Share on Google+Google + Share on LinkedInLinkedIn
Partager sur MessengerMessenger Partager sur BloggerBlogger
Other items
where is published this article: